CGD perdeu mais de 820 milhões por ignorar análises de risco

As maiores perdas da Caixa Geral de Depósitos nos grandes créditos concedidos ocorreram em financiamentos que foram contra ou ignoraram as recomendações dos pareceres de risco. Esses créditos resultaram em perdas de 817 milhões de euros, segundo a versão final da auditora especial da EY aos atos de gestão no banco entre 2000 e 2015. O documento foi entregue esta sexta-feira no Parlamento.

Nas 246 operações de concessão inicial de crédito analisadas pela auditora, foram detetados 80 financiamentos em que o órgão de decisão não fez “depender a sua aprovação da concretização das respetivas condicionantes” realçadas pelo parecer de risco e em que não houve “evidência escrita” a justificar a decisão de não acatar as recomendações. “Do Top 25 as perdas destas operações totalizaram 769 milhões de euros, o que corresponde a 43,7% das perdas da totais da amostra”, indica o documento.